DPL: Amor na Terra do Nunca

A segunda missão (nível médio) do Desafio Power Literário 1.0 consiste em escrever uma história em primeira pessoa envolvendo os personagens da Terra do Nunca. Prontos para andar na prancha?
Luz da minha vida, minha razão para encarar cada novo dia. Quando meus olhos encontraram o brilho dela, foi amor à primeira vista. Não quis mais saber de saborear a outra mão do capitão Gancho, porque agora meu cérebro estava ocupado 24 horas com seu brilho. A paixão louca logo deu lugar à preocupação: como um camarada como eu poderia conquistar uma garota doce, delicada e travessa como Sininho?
Olhei para meu reflexo em um pedaço quebrado de espelho. Vi minha pele áspera, meus dentes pontudos, meu sorriso assustador, minha cauda longa e meus olhos aterrorizantes. Como a bela fadinha poderia se interessar por um brutamontes como eu?
Fiquei também com receio de contar tudo para Peter Pan. Ora, ele sempre fora meu grande amigo, mas tinha um carinho fraternal por Sininho.
Quem poderia me ajudar? Já havia semanas que não dormia direito, que não queria interagir com os meninos perdidos, que nem sequer via o Capitão Gancho. A paixão avassaladora me fez perder a fome, o sono e a tranquilidade. Sininho preenchia todos os meus pensamentos, mas não sabia como conquistá-la. Precisava de uma palavra feminina.  
Fui até a simpática Wendy pedir por conselhos. Ela me serviu chá enquanto conversávamos, e logo percebeu que eu precisaria de algumas aulas de etiqueta. Desabafar com Wendy foi a melhor coisa que eu poderia ter feito. Atenciosa, ela me ensinou muito sobre o universo feminino (embora eu desconfie de que ela sabe pouco sobre o mundo das fadas. Enfim...). Mas a melhor coisa que ela me disse (depois de “quantos cubos de açúcar?”) foi que o que realmente importa é o que é invisível aos olhos. Posso ser desajeitado e horripilante, mas tenho um bom coração <3
Wendy me ensinou a me portar como um cavalheiro. Peter m deu toda força para convidar Sininho para um jantar romântico. Acho que ele até ficou aliviado, porque ultimamente Sininho vinha atrapalhando as longas conversas dele com Wendy. Peter me aconselhou a mostrar fotos de quando eu era pequeno, porque as mulheres não resistem a isso. E não é que ele tem razão? Eu era um filhote muito bonitinho:

Hoje é a grande noite. Escolhi um canto enluarado do pântano, tirei as folhas secas, coloquei uma bela toalha em cima de um toco de árvore e acendi duas velas que “peguei emprestado” do navio de Gancho. Teremos peixe, frutas e suco com mel. E, como o melhor de mim é meu interior, espero que ela se apaixone pelo meu tic-tac.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Blogagem coletiva: 5 coisas que eu quis ser

Resenha: Morada das Lembranças, de Daniella Bauer

Quiz: qual personagem você é?